Álcool e Gestação: Há dose segura?

A mensagem usual para as grávidas sempre foi: não consuma bebidas alcoólicas durante a gravidez.

Recentemente, alguns estudos tentam demonstrar que pequenas quantidades de álcool ingeridas durante a gestação não trazem os malefícios ao feto como se pensava. No entanto, até o momento faltam evidências científicas que garantam realmente ser seguro ingerir qualquer tipo de bebida alcóolica, dose ou trimestre da gestação.

O álcool atravessa a placenta através e chega ao líquido amniótico e feto, sendo que após uma hora os níveis de etanol no líquido amniótico e no sangue fetal são equivalentes aos da gestante.

Álcool e gestação: consequências

A discussão sobre a não ingestão de bebidas alcoólicas durante a gestação se deve ao conhecimento que seu consumo “pesado” pode levar ao parto prematuro, a consequências no crescimento e desenvolvimento do feto e ao longo da vida da criança e à condição clínica conhecida como Síndrome Alcoólica Fetal (SAF).

A SAF, representa o transtorno mais grave do espectro de desordens fetais alcoólicas que, por sua vez, faz parte de um complexo quadro de manifestações clínicas irreversíveis relacionados a ingestão de álcool na gravidez, não havendo evidências que garantam qual a dose mínima de álcool que pode ser ingerida sem que a síndrome aconteça.

As desordens fetais alcoólicas compreendem uma série de consequências ao longo da vida da criança, sendo descritos:

  • Má formação crânio – facial
  • Baixa estatura e baixo peso
  • Distúrbios relacionados à coordenação motora
  • Comportamento hiperativo
  • Déficit de atenção e memória
  • Dificuldades em aprendizado ( principalmente matemática) e cognição
  • Atraso no desenvolvimento da fala
  • Comprometimento da visão e audição
  • Comprometimento da qualidade do sono
  • Dificuldade de sucção
  • Alterações cardiovasculares

Desta forma, sociedades como Academia Americana de Pediatria, American College of Obstetricians and Gynecologists, United Kingdom’s Royal College of Obstetricians and Gynaecologists seguem com a recomendação prévia de álcool zero.

A SAF é 100% evitável. Infelizmente dados epidemiológicos ainda demonstram que a Síndrome Alcoólico Fetal está presente. Nos Estados Unidos foram registrados 40000 casos/ano. No Brasil, anualmente 1.500 a 3.000 casos novos.

 

Bibliografia de Apoio

Centers for Disease Control and Prevention (CDC)

Academia Americana de Pediatria

American College of Obstetricians and Gynecologists

United Kingdom’s Royal College of Obstetricians and Gynaecologists

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *