Eu Escolhi Vocês

Voltar ao trabalho após tornar-se mãe. Para muitas mães, a volta é extremamente angustiante. Mil motivos podem tornar o retorno ao trabalho dificil de “digerir” e muitas mães escolhem reduzir a carga de trabalho ou dar uma pausa para dedicar-se exclusivamente às crianças. E engana-se quem pensa que essa segunda opção é a mais fácil.

Essa decisão não se trata, simplesmente, de ‘escolher entre trabalho e maternidade’ e sim de avaliar e reavaliar constantemente inúmeras variáveis: é querer estar mais perto nos primeiros anos de desenvolvimento dos filhos, é mudar prioridades, até mesmo em relação ao que se faz na empresa, é cansar de ser malabarista-ginasta-milagreira para dar conta de tudo.

Muitas mães precisam de um tempo para se adaptar a essa dupla ou tripla jornada. Para outras, a adaptação culmina em descobrir que os sapatos do mercado de trabalho, por tempo indeterminado, não servem mais. É vestir a camisa do time que pausa a carreira e enfrenta de cabeça erguida preconceitos e críticas – sim, elas existem e são ferrenhas – para enfim se dedicar a uma nova, trabalhosa e desafiante missão: dedicação em tempo integral aos filhos.

O post de hoje é dedicado a essas mães e, celebrando esse possível caminho, compartilho com vocês um texto emocionante e real sobre a decisão de uma amiga querida, mãe incrível – que muito me inspira – de 3 crianças lindas – e médica pediatra excepcional – que também muito me ensinou na residência.

“Eu escolhi vocês porque não sei fazer diferente.

Foi difícil no entanto escolher sem me sentir culpada, culpa por ter tantos exemplos de super mulheres amigas que dão conta dos filhos mas também do trabalho, do hospital, do consultório, que são também super mães. Senti culpa pela sociedade que julga o trabalho das mães tempo integral como menor, menos importante.

Sei que sou médica ainda e isso nunca vai sair de mim. Mas escolhi parar e respirar, e assumir que nesse momento preciso estar inteira com vocês. Inteira para construir castelos de areia, pintar o corpo no quintal e tomar um bom banho de mangueira para enxaguar aquele marrom de tintas misturadas. Inteira também para as birras, as brigas, pois uma não para de imitar a outra e o bebê está destruindo as brincadeiras.

Existe um ditado em inglês que diz “the days are long but the years are short”. Na certeza desses anos curtos, mas de memórias eternas eu escolhi vocês!!”

Por Monica Ellen Olsen Bittencourt Couto

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *