Gratidão

Hoje queria falar sobre um capítulo da minha vida que se encerra.

Meu último dia como intensivista da UTI pediátrica do Instituto do Tratamento do Câncer Infantil. Local que nos últimos 5 anos aprendi. Aprendi não só com a equipe médica, de Fonoaudiologia , de fisioterapia, enfermagem e nutrição.

Trabalhei com pessoas que me inspiraram muito a ser uma médica e uma pessoa melhor.Aprendi com os pacientes e suas famílias. Aprendi a ser grata por estar de plantão no Natal, pois muitos pacientes de quem estava cuidando, não saberiam se aquele seria o último Natal enquanto eu, terminada minha jornada, iria para minha casa. Aprendi que sim, rotinas e regimentos são necessários para o funcionamento da unidade, mas que permitir um ambiente o mais humanizado possível precisa ser a regra. E não precisa muito: é um campeonato de boliche, uma tarde de maquiagem, uma noite fazendo colar com a paciente, distribuir chocolates no plantão para os pais, um abraço, um “sinto muito”, uma partida de vídeo game. Tantas coisas que para nós não damos valor mas que para nossos pequenos e suas famílias fazem tanta diferença . Aprendi com os residentes a nunca perder o entusiasmo e graças a eles permanecerei na parte de pesquisa. Tive verdadeiras aulas com pacientes de 4, 5, 8 anos sobre resiliência, gratidão, perdão e amor. Pacientes que pediam apenas para fazermos companhia à noite, segurar a mão, cobrir com a coberta.

Sempre perguntava “ como posso fazer seu dia ser melhor?” e quem pensa que eles pediam brinquedos ou coisas materiais muitas vezes ouvia “ nada doutora. Obrigada “

Fecho um capítulo com muito orgulho de ter feito parte dessa equipe e muita, mas muita gratidão.

“Uns queriam um emprego melhor; outros, um emprego… Uns queriam uma refeição mais farta; outros, apenas uma refeição… Uns queriam uma vida mais amena; outros, apenas viver… Uns queriam ter pais mais esclarecidos; outros, apenas ter pais… Uns queriam ter olhos claros; outros, apenas enxergar… Uns queriam ter voz bonita; outros apenas falar… Uns queriam o silêncio; outros, ouvir… Uns queriam um sapato novo; outros, ter pés… Uns queriam um carro; outros, andar… Uns queriam o supérfluo… Outros, apenas o necessário…” Chico Xavier

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *