Intolerância à Lactose

A lactose é o açúcar presente no leite. 

As pessoas que têm intolerância ao açúcar do leite e de seus derivados, apresentam comprometimento na digestão da lactose.

Nessas pessoas não há adequada produção da enzima lactase no intestino. Sem a lactase, a lactose não é quebrada em açúcares menores – como a glicose e galactose – que são usados pelo corpo como combustível energético.

Uma vez não digerida adequadamente, a lactose permanece no intestino, podendo ocasionar em flatulência, dor e distensão abdominal, vômitos e diarréia. Em algunns casos a intolerância à lactose pode levar à constipação. Os sintomas geralmente iniciam em até 2 horas da ingestão do leite ou derivados de leite.

Causas

A intolerância à lactose pode ser genética/hereditária ou adquirida como no caso de doenças agudas intestinais (como infecções virais ou algumas verminoses ), doenças inflamatórias crônicas, prematuridade, entre outros. Nos casos adquiridos a intolerância é de curta duração e conforme a causa primária é tratada ou é resolvida, a produção da lactase retoma a normalidade e os sintomas e sinais cessam.

Diagnóstico

Odiagnóstico pode ser feito clinicamente ou laboratorialmente. O diagnóstico clínico ocorre através da exclusão de derivados de leite com lactose da dieta. Uma vez excluída a lactose com consequente melhora dos sintomas, tem se a hipótese diagnostica confirmada. Outras opções incluem testes genéticos e detecção de hidrogênio no ar expirado.

Observação: com a idade, gradativamente perdemos a capacidade de produzir a lactase. Estima-se que no Brasil, 40% da população tenha a hipolactasia do tipo adulto, que pode aparecer a partir do terceiro ano de vida.

Tratamento

O tratamento se faz majoritariamente pela exclusão da lactose da dieta, através da ingestão de derivados de leite e leite isentos desse açúcar ou em alguns casos utilização de medicamentos com a enzima lactase.

Observação 2: Não confunda! A alergia à proteína do leite de vaca não diz respeito à lactose e sim à reação do sistema imunológico contra as proteínas do leite de vaca. Nessa doença os sintomas podem ser respiratórios, intestinais ou dermatológicos. O tratamento prevê a exclusão de qualquer tipo de proteína de leite de vaca. Geralmente a alergia à proteína do leite de vaca ocorre em bebês mais novos.

Bibliografia de Apoio: KidsHealth; Sociedade Brasileira de Pediatria.

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *