Meningite Bacteriana e Vacinas

Devido últimas notícias, nesse post falaremos sobre as meningites bacterianas, com ênfase à meningite meningocócica.

A meningite é um processo inflamatório das meninges, as membranas que envolvem o cérebro. É uma doença grave que pode acometer indivíduos de qualquer idade, sendo que crianças menores de 5 anos, em especial as crianças menores de 1 ano, representam grupo de maior risco à doença.

A meningite pode ser causada por diversos agentes infecciosos: bactérias, vírus, parasitas e fungos. As bactérias mais frequentes, causadoras de meningite, são: Neisseria meningitidis (meningococo), Haemophilus influenzae tipo b e o Streptococcus pneumoniae (pneumococo). Na década de 90, a meningite por Haemophilus influenzae tipo b (Hib) era a segunda causa de meningite bacteriana e após a implantação da vacina contra Hib no Brasil (vacina presente no no calendário básico de vacinação) observou-se redução superior a 90% nos casos de meningite por este agente.

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, através de gotículas e secreções do nariz e garganta, ao tossir, falar ou espirrar. O período de incubação varia de 2 a 10 dias e o diagnóstico é clinico e laboratorial. Os principais sinais e sintomas em crianças maiores de 1 ano de idade e adultos são febre alta, dor de cabeça intensa e contínua, vômitos em jato, rigidez de nuca e, no caso do agente ser o meningococo, podem surgir pequenas manchas vermelho-vivo na pele. Em crianças menores de um ano de idade, os sintomas citados geralmente não são tão evidentes, devendo-se atentar para a moleira tensa ou elevada, rigidez corporal com ou sem convulsões. Alguns casos tem evolução rápida e com alta letalidade. Nos casos de suspeita de meningite é obrigatório que se realize a coleta do líquido cefalorraquidiano (liquor). O tratamento será realizado com antibióticos específicos.

Voltando aos casos de meningite meningocócica

O meningococo apresenta os seguintes sorotipos: A, B, C, X, Y e W135. No Brasil, a década de 70 foi marcada por epidemia de meningite meningocócica e na ocasião, uma maciça campanha nacional foi realizada e após esse período o sorogrupo A deixou de circular por aqui. Nos últimos anos, o meningococo C foi o mais frequente no nosso país. Desta forma, com base nestes dados, a vacina é realizada gratuitamente nos postos de saúde. Já as vacinas ACWY e contra o meningococo B estão disponíveis em clínicas de imunização particulares.

Vamos entender os esquemas de vacinação

Vacina Meningocócica C conjugada

  • Para crianças, o Programa Nacional de Imunização (PNI) disponibiliza 3 doses da vacina: aos 3 e 5 meses, com reforço aos 12 meses (podendo ser aplicado até os 4 anos). As Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam que, além dessas doses, sejam feitos reforços entre 5 e 6 anos e aos 11 anos de idade.
  • Para adolescentes de 12 e 13 anos, o PNI oferece dose única ou reforço, de acordo com a situação vacinal. A SBP e a SBIm recomendam, para os não vacinados, 2 doses com intervalo de cinco anos, preferencialmente da vacina meningocócica conjugada ACWY.

Vacina Meningocócica B

  • A vacina esta disponível em clínicas de imunização e as Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam o uso rotineiro de 4 doses da vacina meningocócica B: aos 3, 5 e 7 meses de vida e entre 12 e 15 meses.
  • Para adolescentes não vacinados antes, a SBP e a SBIm recomendam duas doses com intervalo de um mês.
  • Para crianças mais velhas que não foram vacinadas o esquema de doses varia conforme a faixa etária
Idade
de início da
vacinação
Número de doses do esquema primárioIntervalo entre dosesReforço
2 a 5 meses3 dosesDois mesesUma dose entre 12 e 15 meses
6 a 11 meses2 dosesDois mesesUma dose no segundo ano de vida, com intervalo de pelo menos dois meses
12 meses a 10 anos2 dosesDois mesesNão foi estabelecida a necessidade de reforços
A partir de 11 anos2 dosesUm mêsNão foi estabelecida a necessidade de reforços

Vacina Meningocócica Quadrivalente ACWY

  • A vacina esta disponível em clínicas de imunização e as Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam o uso rotineiro dessa vacina para crianças, adolescentes e adultos. Na impossibilidade de usar a vacina ACWY, deve-se utilizar a vacina vacina meningocócica C conjugada
  • Para crianças, a vacinação deve iniciar aos 3 meses de idade com três doses no primeiro ano de vida (geralmente aos 3,5,7 meses de idade) e reforços aos 12 meses, 5 anos e 11 anos de idade.
  • Para adolescentes que nunca receberam a vacina meningocócica conjugada quadrivalente — ACWY, são recomendadas duas doses com intervalo de cinco anos.

Bibliografia de Apoio

Sociedade Brasileira de Infectologia

Sociedade Brasileira de Imunização

Ministério da Saúde – Governo do Brasil

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *