Otite Média Aguda

A otite média aguda é processo inflamatório e infeccioso da orelha média (onde está a tuba auditiva e o osso mastóide) sendo uma das doenças mais freqüentes nas crianças, principalmente nos dois anos de idade.

Dados mostram que cerca de 80% das crianças terão 1 episódio até o terceiro ano de vida, com pico de incidência entre sexto mês de vida e Primeiro aniversário.

  • 50% da população tem pelo menos um episódio de OMA até completar o primeiro ano de vida.
  • 30% das crianças poderão apresentar mais de um episódio até os 2 primeiros anos de vida.

Os quadros na maioria das vezes têm excelente evolução a incidência diminui significativamente com o avançar da idade.

E por que essa incidência mais elevada nos primeiros anos de vida?

Nos primeiros anos de vida, algumas características anatômicas e funcionais da tuba auditiva contribuem para a otite: conduto auditivo mais curto e horizontalizado (nos adultos por exemplo o conduto tem posicionamento mais inclinado) o que facilita acúmulo de secreção.

Além disso, principalmente crianças que vão à escola, apresentam geralmente mais infecções respiratórias virais, como resfriado, que podem ser o gatilho para a otite. Essas secreções iniciais alteram mecanismos de defesas locais e facilitam proliferação de bactérias da região da nasofaringe.

Alguns fatores de risco aumentam a chance de desenvolver a otite média aguda: tomar mamadeira na posição deitada, doença do refluxo gastroesofágico, sensibilização alérgica, convívio com adultos com hábito tabagista.

Achados clínicos e otoscopia

O quadro clínico é de dor (otalgia), febre, irritabilidade, vômitos, mal estar, febre após quadro inicial de infecções virais das vias aéreas superiores, com sintomas nasais em 75% dos pacientes. Como já citado, a evolução da infecção respiratória alta por virus para a otite média aguda muitas vezes ocorre pela associacao de edema das membranas nasais, que aumentam produção de secreção e podem diminuir mecanismos de defesa e combate de bactérias da própria mucosa nasal.

À otoscopia a membrana timpânica torna-se abaulada, com alterações na cor, desde vermelhidao leve à intensa, com perda de brilho e opacificação. Em processos inflamatórios mais intensos pode haver saida de secreção purulenta pelo conduto auditivo (otorréia).

Tratamento

A otite nos dois primeiros anos de vida, é essencialmente considerada de origem bacteriana isolada ou combinada a um agente viral, sendo necessário para seu tratamento o uso de antibiótico. No controle da dor analgesicos simples alviam o desconforto.

Bibliografia de apoio:

Periodicos Médicos: Jornal de Pediatria, UptoDate, livro Pediatria em Consultório, Harvard Health Publishing, Academia Americana de Pediatria

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *