Pega e posicionamento adequado na amamentação

Diversos órgãos e sociedades mundiais preconizam o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade. São inúmeros os benefícios do aleitamento materno – nutricionais, psicoafetivos e imunológicos – e a correta técnica de amamentação é um dos componentes chaves para o sucesso de todo processo!

Nesse post falaremos sobre a pega adequada e os vários posicionamentos possíveis do bebê.

Pega adequada

A pega adequada, nos seus princípios gerais, é aquela no qual o bebê abocanha boa parte da aréola. Com isso o mamilo fica posicionado no fundo da boca da criança, sendo possível a correta sucção do leite através dos movimentos rítmicos da língua do bebê.

Pega adequada

Pega adequada

Os pontos-chave do posicionamento adequado são:

  • Rosto do bebê direcionado de frente para a mama, posicionando o nariz na altura do mamilo;
  • Bebê bem apoiado, mantendo todo o corpo do bebê próximo ao da mãe, com cabeça, pescoço e tórax alinhados, sem que o pescoço esteja “torcido”;
  • Quanto à pega: ao abocanhar a mama, a aréola deve ficar um pouco mais visível acima da boca do bebê, estando quase toda na cavidade oral; o lábio inferior deve estar virado para fora (famosa “ boca de peixe”) e queixo tocando a mama.

Observação: deixe o bebê mamar até que ele mesmo solte a mama. Porém, se sentir a necessidade de interromper a amamentação, não puxe o bebê da mama. Antes, coloque seu dedo mindinho no canto da boca do bebê, afastando a língua dele do seu mamilo.

Fique atenta para sinais que a pega está inadequada:

  • Quando a boca do bebê não está vedando totalmente a sucção, é possível observar espaço entre os lábios da criança e a mama. Afaste cuidadosamente seu filho/a e reposicione, pois este é um sinal de pega inadequada.
  • Se após as primeiras sugadas você continuar sentindo intenso desconforto na região mamilar, reposicione o bebê: provavelmente a posição está inadequada.
  • Se o bebê estiver abocanhando apenas mamilo, afaste cuidadosamente seu filho/a e reposicione, pois este é um sinal de pega inadequada.
  • Ao final da mamada um bom sinal que a pega foi correta é observar os mamilos arredondados e não achatados.

Binômio mãe-bebê e as posições para amamentar

Não há uma única posição para amamentar. A melhor posição é aquela que a mãe sente-se confortável e mais confiante, garantindo uma pega adequada.

Posição tradicional

Posição tradicional

Posição tradicional

É a posição mais comum para amamentar: mãe posiciona o bebê a sua frente, com a cabeça apoiada na junção braço-antebraço e o rosto de frente para mama. Todo corpo do bebê deverá estar voltado para mãe.

Posição transversa

Posição transversa

Posição transversa

Mãe posiciona o bebê a sua frente, transversalmente, com a cabeça apoiada na mão contrária à mama que ele está mamando. O braço contrário à mama apoiará o corpo. Todo corpo do bebê deverá estar voltado para mãe.

Posição invertida

Posição invertida

Posição invertida

Uma ótima opção para as mães que foram submetidas a cesariana ou para amamentar gêmeos simultaneamente. Nessa técnica, o bebê é colocado de modo “invertido”: a cabeça é apoiada com uma das mãos e fica de frente para a mama, enquanto as pernas ficam encaixadas na região axilar. Geralmente todo o corpo do bebê fica apoiado sobre uma almofada. A mão oposta da mãe fará o apoio da mama a ser oferecida.

Posição deitada

Posição deitada

Posição deitada

Nessa posição, a mãe deita-se de lado e apoia sua cabeça sobre um travesseiro. O bebê também é colocado deitado, ao lado do seu corpo e de lado. Posicione sua mama na boca do bebê, elevando a cabeça da criança (use o seu braço para apoiar a cabeça do bebê).

Posição cavalinho

Posição cavalinho

Posição cavalinho

Essa posição é bem indicada para crianças com refluxo ou bebês prematuros. A mãe deve sentar em cadeira com apoio para as costas, colocar o bebê sentado em seu colo. As costas do bebê são apoiadas pelas mãos da mãe.


Fontes
Organização Mundial de Saúde, Sociedade Brasileira de Pediatria, Instituto Fiocruz, Academia Americana de Pediatria, KidsHealth from Nemours Foundation, AboutKidsHealth from The Hospital for Sick Children, International Hip Dysplasia Institute

Na elaboração deste post, contamos com a colaboração da enfermeira e consultora de amamentação Rose Mathias. Contato rosenf@uol.com.br (11) 99458-7372

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *