Sentar com as pernas em “W”: Quando se preocupar?

Sentar com as pernas na posição em “W” é uma das posições escolhidas por boa parte das crianças. Esse posicionamento das pernas caracteriza-se pelos joelhos dobrados para a frente e as pernas esticadas para os lados e é mais frequente em pré escolares e escolares como uma posição transitória entre um jeito de sentar e outro. Nesse contexto esporádico não há motivo para alarde. No entanto algumas crianças escolhem como posição frequente e isso deve ser desencorajado.

Como a postura em “W” pode afetar o desenvolvimento da criança?

A posição em “W” das pernas permite uma base ampla para o tronco, oferecendo bastante estabilidade para que a criança brinque com as mãos e braços livres para manusear brinquedos.

Mas essa estabilidade não é boa? Sim, é. Mas não de forma constante. Isso por que o tronco fica tão estático que não permite nem a rotação e nem o balanço lateral, não havendo instabilidade postural. A importância dessas pequenas instabilidades posturais, presentes em outros modos de sentar, se deve ao fato de permitirem que a criança desenvolva o equilíbrio e o core muscular (principalmente força dos músculos extensores do tronco e abdominais). Essas habilidades estão diretamente relacionadas ao desenvolvimento motor fino para diversas atividades como, por exemplo, escrever. Além disso, posicionamento constante das pernas em “W” pode acarretar em problemas ortopédicos, envolvendo dores e instabilidade de articulação do quadril, encurtamentos e contraturas musculares.

O que fazer?

Se perceber que seu filho fica constantemente nessa posição, incentive outras formas de sentar. As opções são as mais variadas com pernas cruzadas, pernas esticadas, cócoras, de lado. Você pode gentilmente tocar nas pernas dele e falar para mudar sem posição.

Sinais de alarme

Como dito, esporadicamente sentar nessa posição não acarreta em danos ou lesões. No entanto, o hábito constante deve ser evitado e aos seguintes sinais de alarme avise o pediatra:

  • Ao andar a criança manca ou encurva a ponta dos dedos dos pés para baixo no chamado “pé de pombo”.
  • Se perceber que ombros e quadril estão assimétricos.
  • Se seu filho apresentar indícios de fraqueza no tônus muscular, caracterizada na prática pela criança ao sentar na cadeira escorregar e não conseguir ficar sentada em outra posição diferente do “W”.
  • Parecer demasiadamente desequilibrada ou desajeitada não conseguindo realizar tarefas próprias para idade

Bibliografia de Apoio

Pediatric Annals

North Shore Pediatric Therapist

Penfild Children’s Center

0 comentários

Deixe seu comentário

Quer participar da conversa?
Fique à vontade e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *